Inscreva-se em nossa Newsletter:

 

 

Frete CIF ou FOB, o que realmente vale a pena?

Em busca da competitividade, as empresas devem estar sempre preocupadas com dois pontos principais: a otimização dos custos e a qualidade para o cliente. Ambos precisam estar em sintonia para que o negócio tenha sucesso.

Por esse motivo, a gestão de fretes se torna uma das principais atividades para que o negócio alcance os resultados necessários. Afinal, os custos logísticos têm alta representatividade nos gastos totais da cadeia, fazendo com que a escolha da modalidade do frete influencie diretamente no nível de vantagem competitiva que a empresa mostra na precificação do serviço.

No momento da escolha, o planejamento entra em um dilema: frete CIF e FOB, qual é o melhor? Continue a leitura deste post e veja qual opção oferece mais vantagens para a sua empresa!

Quais são as diferenças entre frete CIF e FOB?

Para escolher a modalidade de frete mais vantajosa para o seu negócio, é preciso entender quais são as principais diferenças entre eles, as vantagens e desvantagens de cada um, e quais são os requisitos para a utilização.

Características do frete CIF

A sigla do Incoterms CIF significa, em português, “custo, seguro e frete”, e remete à responsabilidade relacionada ao custo do transporte, do seguro e dos demais quesitos operacionais de todo o processo logístico, desde o momento que a mercadoria sai de sua empresa até que seja entregue no destino.

Nesse caso, a mercadoria só é considerada entregue quando ela chega nas mãos do comprador. Logo, todo o risco do transporte fica a cargo do fornecedor, sendo essa a principal vantagem. Assim, quem comprou o produto não precisa se preocupar, pois qualquer incidente que ocorra no meio do caminho será de responsabilidade do fornecedor.

Porém, ter o processo completo nas mãos do fornecedor pode fazer com que qualquer problema que venha a ocorrer não seja resolvido com tanta rapidez quanto o comprador necessita.

Características do frete FOB

O frete FOB significa, em português, “livre a bordo”. Ao contrário do CIF, toda a responsabilidade é de quem fez a compra do produto. Logo que a mercadoria é embarcada, qualquer problema que ocorra deve ser resolvido pelo comprador. Além disso, toda a burocracia e os custos das operações logísticas também fica a cargo dele.

A vantagem desse tipo de frete é que os custos podem ser mais otimizados, visto que é o próprio comprador que gerencia o processo. A desvantagem é precisar de uma estrutura física para fazer o descarregamento do material, assim como mão de obra para gerenciar os processos.

Como escolher entre o frete CIF e FOB?

O frete CIF é mais vantajoso para quando se está vendendo para o consumidor final, ou seja, negócios B2C (business to consumer). Esses clientes não costumam ter experiência com frete e, por isso, oferecer o transporte incluso se torna uma forma de agregar valor.

Já o frete FOB é mais utilizado para os negócios B2B (business to business), quando o cliente possui estrutura o suficiente para fazer o transporte — principalmente quando a carga possui alto valor agregado. Na maioria desses casos, o consumidor já conta com empresas terceirizadas que fazem o transporte.

Se uma organização deseja ter sucesso e aumentar o share de mercado, é preciso contar com boas estratégias em todos os momentos. A escolha correta entre o frete CIF e FOB, por exemplo,  pode representar uma grande redução de custo (e risco) para a sua operação, além de melhorar ainda mais os seus resultados. 

Gostou deste conteúdo e quer potencializar ainda mais o seu negócio? Então, entre em contato conosco e veja como podemos lhe ajudar!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

um × um =

Sistema de Gerenciamento de Transporte para Embarcadores