Inscreva-se em nossa Newsletter:

 

 

Logística 4.0: quais as vantagens para a sua empresa? Descubra aqui!

A logística 4.0 é uma consequência da chamada 4ª Revolução Industrial, que combina fenômenos da Internet das Coisas (IoT), Big Data Analitycs, tecnologia RFID, Cloud Computing e outras evoluções tecnológicas que mudarão nosso conceito de mundo caracterizadas por conhecimento e comunicação.

Ela surge como uma solução para o gargalo do e-commerce, já que o processo de compra e venda na web se desenvolveu e superou antigas barreiras — como a confiabilidade no processo —, porém não foi capaz de ser acompanhada pelo desenvolvimento dos processos logísticos das empresas.

Se a empresa não tem capacidade de cumprir com os prazos de entrega, abre demanda para a concorrência, os clientes ficam insatisfeitos e sua imagem pode ficar denegrida no mercado. De acordo com o Procon, questões de não entrega e atraso na entrega de produtos ficaram entre as principais reclamações dos consumidores em 2016: um total de 6.093 registradas só no 1.º semestre.

Como a logística 4.0 é um dos maiores desafios para as empresas brasileiras em função do tamanho do país e dos altos custos de transporte, confira neste post tudo sobre ela!

Logística 4.0 e os modelos anteriores

Enquanto o modelo já ultrapassado de logística preza pelo acúmulo de estoques e não apresenta soluções para perda de ativos, centros de distribuição obsoletos, inventários mal feitos, erros de carregamento e entrega de mercadorias, o conceito de logística 4.0 trabalha com estoque mínimo, alta conectividade em setores, monitoramento virtual de processos, eficiência operacional e de gerenciamento.

Processo de adaptação das empresas

Empresas utilizarão esse conceito e o aplicarão em processos de máquina a máquina (M2M), que permitem receber dados estatísticos que qualificam a eficiência produtiva, como o desperdício de matéria-prima, por exemplo.

Com um sistema de gerenciamento logístico, é possível verificar a eficiência da matéria-prima de determinado fornecedor em relação aos demais, seus prazos de entrega e como substituí-los por outro equivalente ou superior.

Ainda é possível acompanhar em tempo real todo o ciclo do produto, desde a saída da mercadoria do fornecedor até a entrega do produto ao cliente.

Para exemplificar esse conceito, imagine a existência de prateleiras inteligentes em uma indústria que reconhecem quando o estoque chegou ao limite e enviam automaticamente uma mensagem ao computador que faz o pedido para o fornecedor apontado como preferencial —que foi qualificado dessa forma pelo desempenho em entregas anteriores.

Grandes corporações já buscam se adaptar a esse modelo, o que deve partir de uma mudança de cultura organizacional com desenvolvimento de profissionais e investimento em tecnologia. Existem muitos softwares que aplicam parte deste conceito em frentes tecnológicas verticalizadas como a gestão de armazenagem e transportes (TMSs).

Impacto da logística 4.0 na eficiência de uma empresa

Com recursos adequados, a utilização de ferramentas tecnológicas — como empilhadeiras que operam de forma semiautomáticas —, drones que fazem entregas com rapidez e frotas orientadas por GPS que determinam rotas complementares aliadas a uma mão de obra com know-how suficiente para alocar a inteligência artificial nos principais gargalos do processo, a empresa poderá alcançar o nível máximo de eficiência.

Principais desafios

Todo o processo acontece de forma satisfatória, mas não é monitorado até a casa do cliente e esse é um dos desafios a serem superados. Nos EUA, gangues chamadas “piratas de varanda” roubam pacotes deixados pelas transportadoras nas casas dos clientes quando eles não estão presentes para receber a mercadoria.

Isso ocorre devido à falta de comunicação entre a empresa e o cliente e poderia ser facilmente solucionado com um aviso de acompanhamento da carga até mesmo por mensagens de WhatsApp ou SMS, por exemplo.

Outro desafio é adequar o serviço de entrega por drones aos padrões dos sistemas de aviação, com fiscalização adequada em todo o tráfego aéreo.

Para os brasileiros, o desafio já existe e está na adequação da malha viária do país, para minimizar o número de acidentes, e no combate à criminalidade já associada ao transporte — como os roubos de carga, por exemplo. Se os seus sistemas não são interligados, jamais haverá tecnologia e gerenciamento suficientes para otimizar esse setor.

Gostou de saber sobre a logística 4.0? Então aproveite para continuar expandindo seu conhecimento e confira 5 maneiras para otimizar a gestão de transportes!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Sistema de Gerenciamento de Transporte para Embarcadores