Inscreva-se em nossa Newsletter:

 

 

custos logisticos

Saiba identificar custos logísticos e a melhor forma de reduzi-los

Os custos logísticos envolvem todos os gastos da empresa relacionados à organização, tais como custos de armazenagem, custos de existência (stock), custo de ruptura de stock, custos de processamento de encomendas, custos de transporte, entre outros.

A logística é fundamental para todo e qualquer tipo de empresa. 

Até mesmo pequenos empreendimentos precisam planejar muito bem as operações logísticas, para que a atividade possa ser executada e controlada de modo eficiente, assertivo e completo.

Além do mais, a falta de um planejamento pode aumentar os custos logísticos – uma das principais preocupações dos responsáveis pela gestão organizacional.

Por esse motivo, é importante saber como identificar esses custos e a melhor forma de reduzi-los, como forma de otimizar o trabalho das empresas e contribuir para operações mais seguras, direcionadas e baratas.

O artigo de hoje vai tratar justamente sobre isso. Então, se você quer saber mais sobre a logística e como melhorá-la dentro da sua empresa, acompanhe a leitura!

Conheça os principais custos logísticos das empresas

A logística abrange todos os processos que, direta ou indiretamente, ocorrem na cadeia de suprimentos de uma empresa, com relação à movimentação de mercadorias. 

Ou seja, desde o envio de insumos pelo fornecedor, até a chegada no cliente final.

Por exemplo, uma fábrica de calhas tem a sua logística que começa com o recebimento de matéria-prima, depois a organização do estoque de produtos e, finalmente, a distribuição das calhas para consumidores ou empresas parceiras.

Portanto, a logística é um sistema muito complexo, que envolve diversos custos. Vale dizer que algumas atividades podem ser diferentes de um negócio para o outro, mas, em geral, os principais são:

1 – Estoque e armazenagem

Os custos de estoque e armazenagem são um dos que mais encarecem a logística das empresas. Além do mais, eles dependem diretamente do tipo de mercadoria e quantidade de produtos estocados.

Por exemplo, um grande armazém de etiquetas em rolo pode ter um valor mais elevado do que um estoque mais limitado, somente com uma quantidade pequena desses itens. 

No entanto, é preciso ter um armazenamento de acordo com a demanda do mercado.

Normalmente, os custos logísticos de estoque e armazenagem dependem dos seguintes fatores:

  • Preço do produto;
  • Manutenção do estoque;
  • Gastos com a falta de mercadoria;
  • Perda ou danificação de produtos.

É importante lembrar que as despesas relacionadas ao estoque e armazenagem também englobam a mão de obra, inventário, aluguel do espaço físico e impostos, bem como gastos com materiais parados ou encalhados. 

Por exemplo, um estoque de ferro chato precisa ter boas condições de armazenamento para esses materiais, para que eles não sofram com a oxidação e ações do tempo.

2 – Embalagem

As embalagens são fundamentais para garantir o acondicionamento correto dos produtos, evitar possíveis acidentes, redobrar a segurança e diminuir defeitos que podem acontecer durante o transporte de mercadorias.

Além disso, elas causam uma ótima impressão nos clientes. Afinal de contas, é muito melhor receber uma escova de carvão bem embalada, não é mesmo? 

Isso passa a sensação de credibilidade e profissionalismo da empresa.

Nesse sentido, as embalagens são parte dos custos logísticos, afinal, é preciso escolher invólucros que asseguram a proteção das mercadorias, ao mesmo tempo que sejam atrativos aos olhos dos consumidores.

3 – Transporte e frete

O custo com transportes é um dos mais expressivos dentro da logística. Quando se tem uma frota própria, os gastos são inúmeros, como por exemplo, a aquisição de veículos especiais, a manutenção, depreciação, preço do combustível, entre outros.

Além disso, aqui no Brasil, os veículos precisam percorrer longas distâncias, o que contribui ainda mais para o desgaste e o aumento dos custos de operação.

Fora que, dependendo do que é transportado, os cuidados precisam ser ainda maiores. 

Uma empresa de coleta de lixo hospitalar, por exemplo, deve ter uma frota de veículos que sigam todas as recomendações de saúde e tenham acessórios personalizados para garantir a proteção de todos.

Também é preciso ter cuidado com possíveis acidentes e roubos de carga que podem ocorrer durante o transporte dos produtos. 

Por isso, é necessário investir em um planejamento de gestão de risco – e isso pode elevar o preço do frete.

4 – Impostos e tributos

Existem alguns impostos e tributos que incidem sobre as operações logísticas. As empresas precisam conhecer quais são os principais e tomar conhecimento deles, para evitar multas ou cobranças de taxas adicionais. 

Os principais impostos na logística são:

  • IRPJ – Imposto de Renda Pessoa Jurídica;
  • CSLL – Contribuição Social sobre o Lucro Líquido;
  • PIS/PASEP – Programas de Integração Social e Formação do Patrimônio do Servidor Público;
  • Cofins – Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social;
  • IPI – Imposto sobre Produtos Industrializados;
  • ICMS – Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços;
  • ISSQN – Imposto sobre Serviços de Qualquer Natureza.

Além de conhecer os impostos, as empresas precisam verificar quais tributações elas são obrigadas ou estão isentas. Por exemplo, um negócio que faz uniformes personalizados para empresas pode ter que pagar tributos diferentes de uma fábrica.

5 – Operações de distribuição

Para que um sistema logístico funcione bem, é necessário considerar gastos operacionais que fazem parte do trabalho de distribuição de insumos e produtos, como as despesas fixas e variáveis.

No primeiro caso, os custos fixos envolvem as taxas do espaço de armazenamento, os equipamentos do sistema, os salários e impostos. 

Já os custos variáveis dizem respeito aos seguros de cargas, manutenções, compra de peças, entre outros.

Mas, afinal de contas, como posso reduzir os custos logísticos?

Depois de conhecer os custos envolvidos na sua operação logística, está na hora de fazer um planejamento para reduzir gastos e contribuir para otimizar o trabalho de distribuição e armazenamento.

Confira, abaixo, algumas dicas de como reduzir os custos logísticos.

1 – Tenha um controle de estoque

Em primeiro lugar, você precisa ter um excelente controle de estoque, bem como uma organização do seu espaço de armazenagem. 

Isso evita a perda de produtos danificados, que muitas vezes quebram ou são prejudicados pelo armazenamento incorreto.

Portanto, veja a forma correta de estocar uma viga de madeira para telhado, por exemplo.

Além disso, faça as contas e veja se, ao invés de ter um espaço próprio para estocagem, não compensa investir em uma empresa terceirizada que faz esse serviço.

2 – Estabeleça contato com outras transportadoras

O custo com uma frota própria para transporte se mostra, muitas vezes, extremamente dispendioso. 

Por esse motivo, muitas empresas já estão contratando transportadoras especializadas para fazer a distribuição de seus produtos.

Vale dizer que as transportadoras conseguem carregar diversos tipos de produtos, incluindo uma coluna pop preço diferenciado, entre outros.

Para diminuir os custos, é recomendado possuir várias opções de transportadoras, para não depender de apenas uma. 

Isso permite que você escolha os melhores preços, e tenha maior variedade no volume de cargas.

3 – Tenha um planejamento tributário

Já que muitas empresas são obrigadas a pagar impostos e tributos sob as operações logísticas, uma forma de evitar multas e verificar a possibilidade de isenção fiscal é ter um planejamento tributário bem detalhado.

Vale a pena ver as datas dos pagamentos, para não deixar nenhuma delas passar, bem como planejar-se financeiramente, para não correr risco de faltar dinheiro para a quitação dos impostos.

4 – Faça uso da tecnologia

Hoje em dia, com o avanço dos recursos tecnológicos, é possível encontrar diversas ferramentas que ajudam a racionalizar e otimizar as operações logísticas, o que contribui para a redução de custos.

Por esse motivo, investir em soluções tecnológicas pode ser algo muito vantajoso, pois abre chances para agilizar as entregas, reduzir desperdícios e aumentar o nível de satisfação dos clientes.

5 – Faça uma previsão de demanda

A previsão de demanda pode te ajudar a diminuir gastos, pois evita a compra de produtos ou materiais em excesso, racionalizando o estoque de materiais.

O cálculo pode ser feito com base nos dados da área comercial, incluindo o histórico de vendas e comportamento do mercado, bem como na gestão de estoque, com o giro dos produtos.

Assim, ao fazer o cruzamento dessas informações, pode-se criar estimativas sobre a procura de clientes nos próximos períodos e a organização de estoque para a aquisição de novos insumos, sendo possível evitar desperdícios.

Além do mais, a previsão de recursos também influencia diretamente os cursos operacionais, com redução de perdas, prejuízos e, até mesmo, otimização do gasto do capital de giro.

Conclusão

Uma das principais atitudes que uma empresa precisa tomar em relação à diminuição de custos logísticos, é adotar um planejamento eficiente. 

Isso vale não só para o departamento logístico, mas todas as áreas de uma organização.

Mais do que ajudar na redução de gastos, o planejamento é fundamental para assegurar a qualidade de todas as operações, ao mesmo tempo em que garante a entrega rápida e segura aos consumidores.

O resultado de tudo isso é a satisfação dos clientes, que irá contribuir para o reconhecimento da empresa no mercado e o consequente aumento de vendas.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Sistema de Gerenciamento de Transporte para Embarcadores