Inscreva-se em nossa Newsletter:

 

 

Saiba os principais impactos do tabelamento do frete para a economia!

Há poucos meses o país parou: mercadorias deixaram de ser entregues, produtos perecíveis foram perdidos, postos ficaram sem combustível e indústrias interromperam suas produções por falta de componentes. A greve dos caminhoneiros resultou em prejuízo para o país, visto que a estimativa do custo das medidas estabelecidas para o fim da paralisação é de 9,5 bilhões de reais.

Um dos critérios determinados foi o tabelamento do frete, assunto que gera arrepios em quem necessita diariamente dos serviços de transporte. Continue a leitura deste artigo e saiba quais são os principais impactos do tabelamento do frete para a economia brasileira.

Impactos do tabelamento do frete para a economia

Aumento do custo do frete

A primeira consequência do tabelamento do frete é o aumento nos custos de transporte. Segundo o Portal da Indústria, a tabela de fretes já elevou 12% o preço dos transportes rodoviários. De acordo com artigo do Globo Economia, “os valores são estabelecidos de acordo com a categoria do material transportado, podendo ser carga geral, líquida ou seca, frigorificada, perigosa e neogranel”.

Aumento do preço de insumos

O aumento dos custos de frete faz com que as mercadorias fiquem mais caras, pois os produtores e embarcadores precisam incluir o valor do transporte no preço dos insumos. Segundo proposta, além do custo do frete as empresas precisariam ainda pagar aos transportadores a volta dos caminhões vazios, o que encarece ainda mais os produtos finais.

Tomada de decisões em relação ao transporte de produtos

Antes da greve grande parte das empresas tinha uma transportadora contratada para fazer os transportes diários com um preço acordado entre ambos. Agora, com a elevação dos preços, entrou na pauta de planejamento a aquisição de frota própria, fazendo com que as transportadoras possam perder clientes.

Perca de competitividade

O estabelecimento de um preço mínimo coloca as transportadoras em desvantagem ao diminuir a competitividade entre elas. O impacto é ainda maior em empresas localizadas no norte e nordeste e as indústrias da região Sudeste ou Sul que possuam fornecedores daquelas regiões terão custos ainda mais elevados, fazendo com que repensem a cadeia de suprimentos.

Influência sobre os embarcadores

O principal impacto para o embarcador é também o aumento do custo do frete, visto que terá que aumentar o preço do serviço prestado, o que também diminui as vantagens competitivas desse setor. Além disso, torna-se refém da tabela de fretes. Se o embarcador contrata uma empresa terceira para fazer os transportes de suas mercadorias e não paga o mínimo estabelecido, ele está sujeito à multa e indenização equivalente ao dobro do valor para o responsável contratado para o transporte.

Grande parte dos especialistas concordam: o tabelamento do frete foi uma medida ineficaz, que não traz grandes vantagens para nenhum dos setores. As transportadoras vão perder a competitividade, pois os concorrentes terão o mesmo preço mínimo estabelecido, as indústrias sofrerão com os aumentos de custos e o consumidor final sentirá no seu bolso o aumento.

Ainda assim, concordando ou discordando do tabelamento de frete, é fundamental entender como ele funciona, quais são os valores mínimos determinados para suas mercadorias e o quanto isso impactará nos seus custos.

Nosso post ajudou a esclarecer suas dúvidas? Então siga a gente nas redes sociais para ter conteúdos como este direto na sua timeline. Estamos no Facebook, no LinkedIn, e no Twitter.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dezessete + 4 =

Sistema de Gerenciamento de Transporte para Embarcadores