Inscreva-se em nossa Newsletter:

 

 

Serviço de transporte de cargas: como reduzir taxas complementares?

O transporte rodoviário ainda é o modal logístico mais utilizado para levar cargas no Brasil, segundo o IBGE. O número de concorrentes está aumentando cada dia mais e estar presente no mercado de serviços de transporte de cargas exige um bom nível de conhecimento sobre diversos fatores. Um deles é entender como funcionam os custos existentes nos processos, e quais são as ações para que estes custos não tomem conta de seus lucros.

Uma das onerações dos serviços de transporte de cargas são as taxas complementares. GRIS, TDE, taxas de reentrega, diárias e de devoluções. Ter conhecimento e entender como se aplica cada uma é essencial para possuir um negócio sólido.

Quer aprender mais sobre taxas complementares? Continue lendo e descubra as principais, além de dicas oportunas para sua empresa.

Taxa de reentrega

A ocorrência de reentregas é algo recorrente nos serviços de transportes de cargas. Pode acontecer por um erro de informação de endereço, por causa de o responsável da entrega não estar presente no horário combinado ou devido a incidentes durante a viagem. A taxa de reentrega, quando acontece por conta do cliente, deve ser cobrada, contanto que possa ser justificada.

Uma forma de evitar qualquer problema com a localização ou atrasos de entregas, custos extras e a insatisfação do cliente é a instalação de um sistema para automatizar o controle de entregas. Um TMS que acompanhe as cargas em tempo real trará segurança para o processo.

Taxa de devoluções

A taxa de devoluções ocorre quando o endereço de entrega rejeita a mercadoria. Nesse caso, na maioria das vezes, o problema está nos processos internos, como separação de material errado do estoque ou produtos próximos às datas de validade. O preço a ser cobrado na devolução é basicamente como se um novo frete fosse feito, acrescido o ICMS originado na operação.

A solução para reduzir essas ocorrências está no controle do processo. Mapeie os riscos e os motivos de devolução já ocorridos. Com o histórico, verifique os mais recorrentes e elimine-os. Dessa forma, os custos com devolução vão diminuir.

Taxas de diárias

Quando é necessário que o veículo tenha um tempo de espera maior do que o normal, são cobradas taxas de diárias. Os custos a serem cobrados são os do tempo do veículo e do motorista. Muitas vezes, as diárias são previstas. Portanto, deixe claro aos seus clientes os custos decorrentes dessa situação, assim nenhuma insatisfação é gerada.

TDE — Taxa de Dificuldade na Entrega

Um pouco menos comum do que as taxas citadas acima, a TDE existe para compensar quaisquer custos extras, quando há alguma dificuldade durante a entrega. Situações assim podem ocorrer quando o transportador precisa separar uma mercadoria ou quando há necessidade de mais pessoas para o descarregamento de uma operação.

Uma boa comunicação com os clientes e os responsáveis pela descarga do material antes da saída do veículo pode ser o bastante para evitar situações de dificuldade de entrega. Extensos tempos de espera, por exemplo, podem ser evitados com a combinação de uma janela de entrega específica para aquele item.

GRIS — Taxa de Gerenciamento de Risco e Segurança

Bons serviços de transporte de cargas trazem segurança aos seus clientes. A taxa GRIS tem como objetivo cobrir qualquer custo relacionado a roubos de cargas ocorridos durante o frete. A porcentagem será calculada por meio do valor da nota fiscal.

A forma de redução de custos relacionados ao GRIS relaciona-se ao planejamento estratégico da empresa. A tomada de decisão e a escolha da apólice de seguro correta e específica para o negócio vai determinar o montante a ser pago, portanto, deve ser feita cautelosamente.

Ter conhecimento sobre o processo é o fundamento para fornecer serviços de transporte de cargas com altos níveis de qualidade e segurança. O controle dos custos fará com que o planejamento estratégico da empresa possa estar voltado a adquirir vantagem competitiva e não apenas trabalhar exaustivamente por reduções de custos. Conhecer as taxas e entender como elas funcionam fará com que as decisões sejam tomadas de forma inteligente.

Nosso post ajudou? Que tal seguir nossas páginas do Facebook, do LinkedIn e do Twitter para ter acesso a mais conteúdo como este direto na sua timeline?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Sistema de Gerenciamento de Transporte para Embarcadores