Inscreva-se em nossa Newsletter:

 

 

Cross-docking: Como o sistema de distribuição ajuda o embarcador?

Embarcadores que primam pela eficiência de seus processos e estão sempre em busca da melhoria contínua a fim de crescer os seus negócios e atender a sua clientela com excelência devem entender bem o que é cross-docking e como esse sistema de gestão de mercadoria pode ajudar.

Um processo capaz agilizar o fluxo de estoque, potencializar a circulação de mercadorias e otimizar o relacionamento com fornecedores é uma ótima opção pra empresas que necessitam ganhar tempo com a entrega de seus produtos.

Pensando nisso, desenvolvemos este artigo com intuito de esclarecer melhor sobre o que é o cross-docking e como ele pode ser implementado em um negócio. Quer saber tudo sobre o assunto? Então permaneça conosco até o fim da leitura deste post!

O que é cross-docking?

O cross-docking é um processo simples de consolidação de cargas — com ele é possível ganhar muita eficiência na distribuição de mercadorias. Essa técnica é muito utilizada pela logística e tem como principal fundamento receber mercadorias em um centro de distribuição e, com o menor prazo possível, distribuí-las novamente para que sejam entregues ao seu cliente final.

A ideia central é dispensar a necessidade de estocagem de produtos. Essa forma de divisão de itens em fluxo permite distribuir as mercadorias da etapa de recebimento diretamente para a expedição. Assim, algumas fases do processo de armazenagem são eliminadas e, quando necessário estocar, que o seu tempo de permanência seja o mínimo possível ou, de preferência, zero.

Sendo assim, o embarcador pode se despreocupar com essa fase de armazenagem e distribuição de materiais para então empenhar seus esforços na atividade fim da empresa.

Como esse sistema funciona?

Para que o cross-docking funcione corretamente é necessário que seja destinado a essa operação um espaço específico, que facilite o carregamento e o descarregamento de caminhões. A estrutura ideal deve ser em formato “I”, pois é uma construção mais em conta e leva o cross-docking direto ao ponto.

Se a variedade de fornecedores for grande e a movimentação de entrada e saída de veículos intensa, é melhor que sejam utilizados os formatos “T” e “X”. Desse modo, será possível centralizar o ponto de chegada de caminhões no meio da estrutura de apoio e, em seguida, irradiar as saídas pelas pontas do terminal.

O cross-docking não é um sistema de armazenagem e, sim, de distribuição de mercadorias. Por isso, deve receber esse tipo de layout para seu funcionamento correto. A lógica de operação é receber as mercadorias de seus fornecedores e encaminhá-las diretamente para seus consumidores.

Por exemplo, imagine uma rede de lojas de departamentos com ao menos dez filiais. Ela recebe produtos de mais de 20 fornecedores. A sua estrutura cross-docking permitirá que cada fornecedor entre no terminal por um lado e, do outro lado da estrutura, dez caminhões já estejam preparados para receber as mercadorias destinadas às filiais.

À medida que os produtos são retirados dos veículos dos fornecedores, são repassados para os caminhões que farão a entrega para as filiais, na quantidade correta para cada uma. Esse processo isenta qualquer necessidade de estocagem e exige pouco tempo para ser executado.

Quais são os tipos de cross-docking?

O processo de cross-docking pode ser executado de três formas. São metodologias distintas para aplicar a técnica no processo logístico. Conheça em seguida quais são elas!

Movimento de distribuição

Método muito utilizado por empresas com volume alto de vendas do tipo B2B — Business-to-Business, comércio realizado entre empresas. Nesse caso, as mercadorias só serão despachadas para o centro de distribuição depois que o caminhão tiver seu espaço todo ocupado. Então, será necessário que os produtos permaneçam em estoque por um curto período de tempo. Esse tipo de cross-docking também é conhecido como Full TruckLoad (FTL), ou seja, “caminhão cheio”.

Movimentação contínua

Na movimentação contínua não é necessário estocagem alguma. Nesse método, a carga é encaminhada do fornecedor para o centro de distribuição e, logo em seguida, é encaminhada para os caminhões que a destinará direto para os seus clientes. Essa forma é a mais utilizada pelas empresas de e-commerces.

Movimentação consolidada ou híbrida

Esse tipo de cross-docking é ideal para negócios com alto giro de estoque e variedade de produtos. Nessa situação, os itens advindos dos fornecedores seguem para uma triagem. Uma parte segue diretamente para o consumidor e a outra vai para o estoque à espera da complementação do pedido com o restante dos produtos solicitados.

Como pode ser implementado o cross-docking no processo de gestão de mercadorias?

Para que a estratégia cross-docking funcione plenamente em uma organização é necessário levar em conta alguns pontos, como os que poderão ser vistos em seguida.

Planejamento

Um bom planejamento de logística cross-docking deve esboçar tudo o que será necessário para a sua implantação, como:

  • materiais necessários;
  • tipo de mão de obra;
  • prazos a serem cumpridos;
  • localização ideal para a instalação das docas;
  • layout da estrutura;
  • fluxo das mercadorias e o roteamento de veículos;
  • armazenagem temporária etc.

Se possível, teste a estratégia antes colocar a operação em funcionamento, a fim de evitar erros e conhecer os gargalos que poderão atrapalhar o fluxo contínuo dos produtos.

Tecnologia

Investir em tecnologia também é fundamental para a implantação do cross-docking. Isso porque ele integra vários setores do processo de forma a agilizar as informações e, consequentemente, toda a cadeia do processo. Portanto, considere utilizar softwares, como como um sistema de gerenciamento de transporte (TMS) e um sistema de gestão empresarial (ERP), para auxiliar na execução das tarefas. Eles facilitam todo o gerenciamento de estoque e de recursos, além da comunicação com clientes e fornecedores.

Parcerias

Se a sua intenção não é montar uma estrutura, firmar parcerias com centros de distribuição (CD) é uma ótima alternativa. Avalie a localização do CD e de seus clientes, para depois contratar o espaço mais conveniente para sua empresa. Encontrar um parceiro que já funcione com o cross-docking pode ser melhor ainda, uma vez que sua experiência poderá auxiliar na melhoria do processo.

Quais as vantagens em implantar esse sistema de distribuição?

Adotar a estratégia de cross-docking na sua empresa deve promover diversas vantagens, das quais podemos destacar:

  • agilidade nos processos: o sistema de fluxo contínuo de mercadorias sem a necessidade de estocagem agiliza muito o processo, já que não será mais necessário localizar e separar produtos;
  • redução de custos: utilizar minimamente o estoque ou, quando possível, reduzi-lo a zero, o que diminui os custos com armazenagem e ainda flexibiliza a alocação de recursos;
  • integração: a integração das atividades reduz o tempo de preparo com mercadorias, o que torna o processo de distribuição ainda mais eficiente;
  • eliminação ou simplificação da estocagem: como já pontuamos, o cross-docking diminui a utilização do estoque e isso reduz custos e agiliza o processo de entrega de mercadorias;
  • otimização do tempo: esse processo minimiza drasticamente o tempo de processamento das mercadorias. Com isso, o prazo de entrega de produtos é otimizado, algo que deixa o cliente muito feliz;
  • diminuição de danos aos produtos: com a diminuição de etapas na gestão das mercadorias, é possível evitar o grande manuseio dos materiais. Logo, quanto menos movimentação, menor o risco de danos aos produtos;
  • aumento do giro de vendas: a rapidez na entrega das mercadorias aumenta a possibilidade de vendas, já que o ciclo de mercadorias é otimizado com o tempo menor de entrega e o uso mitigado de estoque;
  • satisfação do cliente: entrega no tempo certo com a mercadoria em segurança é sinônimo de satisfação da clientela.

As vantagens da implantação do cross-docking em uma empresa são inúmeras. Entretanto, é importante que o embarcador entenda bem como ela funciona e qual a principal ferramenta de auxílio ele deve buscar.

Como a tecnologia pode auxiliar no sistema de gerenciamento de mercadorias?

Implantar o cross-docking exige um controle e monitoramento rigorosos tanto de transportadora quanto de mercadorias. Isso pode ser feito com o auxílio de um bom sistema de gerenciamento. Essa ação é muito importante para manter a inovação no processo logístico e aumentar a credibilidade da empresa frente ao mercado, já que terá um suporte tecnológico confiável.

Com o auxílio de um bom software de gestão de mercadorias, o embarcador fica informado sobre o status da entrega de seus produtos e a performance das transportadoras — fatores importantes a garantir que o produto seja entregue corretamente e no prazo acordado com o cliente.

Além disso, a integração das informações proporcionada pelo uso da tecnologia agiliza a comunicação entre setores diferentes, parceiros, fornecedores e clientes. Isso favorece uma organização mais ágil da disponibilidade e da necessidade de materiais, de forma que a empresa possa agir eficazmente em relação à reposição de mercadorias. Sem contar que toda a operacionalização da empresa, como armazenagem, vendas e contratos, pode ser acompanhada em tempo real.

O cross-docking é sem dúvida uma boa estratégia de agilidade e eficiência no processo de entrega de mercadorias — e pode auxiliar bastante o embarcador nesse quesito. Maior rapidez, confiança e visibilidade nos negócios são fatores conquistados com essa estratégia aliada ao uso da tecnologia. Esses aspectos farão com que os seus negócios deslanchem cada vez mais rumo ao sucesso.

Gostou do conteúdo? Então aproveite para compartilhá-lo nas suas redes sociais a fim de que seus amigos e colegas de trabalho também entendam sobre o assunto!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Sistema de Gerenciamento de Transporte para Embarcadores